Pesquisadores afirmam que um mismatch T2-FLAIR pode ser útil no diagnóstico de astrocitomas

Uma definição melhor de um sinal único da ressonância magnética (RM) pode ajudar a diagnosticar certos astrocitomas, de acordo com novos achados por pesquisadores na Universidade de Washington (University of Washington) em Seattle, EUA.