Avaliação de possíveis biomarcadores diagnósticos e prognósticos na esclerose lateral amiotrófica

Princípios

  • O neurofilamento de cadeia leve pode ser um biomarcador diferencial diagnóstico e prognóstico eficaz na esclerose lateral amiotrófica.

Por que isso importa

  • Biomarcadores neuroquímicos novos e mais eficazes são necessários para prever com precisão o diagnóstico e o prognóstico na esclerose lateral amiotrófica.

  • Essa avaliação integrada exclusiva de um painel de biomarcadores neuroquímicos revela o neurofilamento de cadeia leve como um possível biomarcador diagnóstico e prognóstico na diferenciação da esclerose lateral amiotrófica de seus diagnósticos diferenciais.