Estudo comparativo internacional dos desfechos após traumatismo craniano

Princípios

  • Os achados deste estudo sugerem que indivíduos com traumatismo craniano moderado a grave na Austrália são mais propensos a se casarem e viverem de forma independente (um e dois anos após a lesão) e mais propensos a serem empregados (dois anos após a lesão) em comparação àqueles nos EUA.

Por que isso importa

  • Desde os anos de 1980, dois estudos acompanharam indivíduos com traumatismo craniano de moderado a grave, incluindo o Banco de Dados Nacional do Sistema Modelo de Traumatismo Craniano (Traumatic Brain Injury Model Systems, TBIMS) nos EUA e o Longitudinal Head Injury Outcome Study (limitado a pessoas feridas em acidentes com veículos motorizados) pelo Monash Epworth Rehabilitation Research Centre (MERRC) na Austrália.

  • Após a alta da reabilitação aguda, os pacientes de ambos bancos de dados recebem acesso a monitoramento médico contínuo, terapias pós-agudas e suporte adicional.

  • Este estudo fornece uma percepção sobre as diferenças nos desfechos das coortes dos bancos de dados TBIMS e MERRC um e dois anos após a lesão.

A International Medical Press é um fornecedor global de educação médica independente. Sua missão é fornecer aos profissionais de saúde informações médicas confiáveis de alta qualidade, com o objetivo de ajudar a otimizar o tratamento dos pacientes.

A International Medical Press não assume responsabilidade por quaisquer lesões e/ou danos a pessoas ou propriedade decorrentes de negligência ou de outra razão, nem por qualquer uso ou operação de quaisquer métodos, produtos, instruções ou ideias contidos neste material. Devido aos rápidos avanços nas ciências médicas, a International Medical Press recomenda que seja feita a verificação independente de diagnósticos e dosagens do medicamento. As opiniões expressas não refletem as opiniões da International Medical Press ou do patrocinador. A International Medical Press não assume responsabilidade por qualquer material contido neste documento.