Associação entre o sono de ondas lentas e o envelhecimento do cérebro por meio de RM: Análise de uma amostra baseada na comunidade

Princípios

  • A redução do sono de ondas lentas foi associada a marcadores de lesão cerebral e atrofia na ressonância magnética (RM) e pode contribuir para o envelhecimento do cérebro.

Por que isso importa

  • Acredita-se que o sono de ondas lentas, a fase mais profunda do sono, facilite a consolidação da memória, a restauração de energia e outras funções fisiológicas do sono.

  • Estudos indicaram que idosos e indivíduos com demência têm sono de ondas lentas reduzido, no entanto, ainda não se sabe da relação entre a duração e a proporção do sono de ondas lentas e os marcadores de envelhecimento cerebral na RM.