Associação de marcadores de LCR e de RM com atrofia na esclerose múltipla

Princípios

  • O neurofilamento de cadeia leve (NfL) e a proteína 1 tipo quitinase 3 (chitinase 3-like protein 1, CHI3L1) no líquido cefalorraquidiano (LCR) mostraram-se diferencialmente relacionadas à atrofia cerebral e medular.

Por que isso importa

  • A atrofia do cérebro e da medula espinhal são marcadores paraclínicos estabelecidos de progressão da doença e estão associados à degeneração axonal e desmielinização na EM.

  • Com o advento das imunoterapias no tratamento da EM, os resultados deste estudo podem sugerir que os níveis de CHI3L1 e NfL no LCR podem prever de forma confiável a atividade da doença e a resposta ao tratamento.

A International Medical Press é um fornecedor global de educação médica independente. Sua missão é fornecer aos profissionais de saúde informações médicas confiáveis de alta qualidade, com o objetivo de ajudar a otimizar o tratamento dos pacientes.

A International Medical Press não assume responsabilidade por quaisquer lesões e/ou danos a pessoas ou propriedade decorrentes de negligência ou de outra razão, nem por qualquer uso ou operação de quaisquer métodos, produtos, instruções ou ideias contidos neste material. Devido aos rápidos avanços nas ciências médicas, a International Medical Press recomenda que seja feita a verificação independente de diagnósticos e dosagens do medicamento. As opiniões expressas não refletem as opiniões da International Medical Press ou do patrocinador. A International Medical Press não assume responsabilidade por qualquer material contido neste documento.