Associação de marcadores de LCR e de RM com atrofia na esclerose múltipla

Princípios

  • O neurofilamento de cadeia leve (NfL) e a proteína 1 tipo quitinase 3 (chitinase 3-like protein 1, CHI3L1) no líquido cefalorraquidiano (LCR) mostraram-se diferencialmente relacionadas à atrofia cerebral e medular.

Por que isso importa

  • A atrofia do cérebro e da medula espinhal são marcadores paraclínicos estabelecidos de progressão da doença e estão associados à degeneração axonal e desmielinização na EM.

  • Com o advento das imunoterapias no tratamento da EM, os resultados deste estudo podem sugerir que os níveis de CHI3L1 e NfL no LCR podem prever de forma confiável a atividade da doença e a resposta ao tratamento.