Pesquisadores relatam que os astrócitos contribuem para a patogênese da esclerose múltipla

Os dados apresentados na conferência MSVirtual2020 forneceram atualizações sobre o papel dos astrócitos no desenvolvimento e progressão da esclerose múltipla (EM).

Os astrócitos têm várias funções homeostáticas, regulatórias e estruturais, mas até recentemente, o seu papel na EM era indefinido, declarou o Dr. David Pitt da Universidade de Yale (Yale University) em New Haven, Connecticut, EUA.

A princípio, os astrócitos eram considerados células “expectadoras” na EM, com pouco ou nenhum papel na doença. No entanto, recentemente demonstrou-se que o os astrócitos regulam o funcionamento da barreira hematoencefálica, recrutam e ativam linfócitos e promovem um ambiente pró-inflamatório e neurotóxico que pode contribuir para a patogênese da EM.

A Ology Medical Education é uma fornecedora global de educação médica independente. Sua missão é fornecer aos profissionais de saúde informações médicas confiáveis de alta qualidade, com o objetivo de ajudar a otimizar o tratamento dos pacientes.

A Ology Medical Education não assume responsabilidade por quaisquer lesões e/ou danos a pessoas ou propriedade decorrentes de negligência ou de outra razão, nem por qualquer uso ou operação de quaisquer métodos, produtos, instruções ou ideias contidos neste material. Devido aos rápidos avanços nas ciências médicas, a Ology Medical Education recomenda que deva ser feita a verificação independente de diagnósticos e dosagens do medicamento. As opiniões expressas não refletem as opiniões da Ology Medical Education ou do patrocinador. A Ology Medical Education não assume responsabilidade por qualquer material contido neste documento.