Cérebros de pacientes com DA mostram expressão proteica alterada (mas não de RNA)

Uma nova pesquisa mostra que as alterações proteômicas no cérebro de pacientes com doença de Alzheimer (DA) se correlacionam com a patologia da doença, mas podem não ser observáveis no nível de RNA.

“Os processos biológicos que são interrompidos no cérebro da DA não são completamente compreendidos”, disse o Dr. Erik Johnson, da Universidade Emory (Emory University) em Atlanta, Geórgia, EUA. “Recentemente realizamos uma análise proteômica de mais de 2.000 cérebros para entender melhor essas mudanças. Essa análise destacou alterações nos astrócitos e micróglia como provavelmente os principais determinantes da doença.”