As células humanas derivadas da cardioesfera podem melhorar a função na DMD em estágio avançado?

Especialistas relataram novas descobertas sobre a segurança e eficácia da CAP-1002, uma população de células alogênicas derivadas da cardioesfera, na mitigação da deterioração da função cardíaca e dos membros superiores em pacientes com distrofia muscular de Duchenne (DMD) avançada.

Apresentando-se no congresso virtual WMS 2021, o professor Craig McDonald da Universidade da Califórnia (University of California) em Davis, nos EUA, resumiu as descobertas de um estudo clínico multicêntrico, randomizado, duplo-cego e controlado por placebo chamado Halt Cardiomyopathy Progression-2 (HOPE-2).