Anormalidades microestruturais no cérebro podem servir como um biomarcador diagnóstico para distonia?

A falta de biomarcadores objetivos de distonia significa que o diagnóstico pode ser postergado em até 10,1 anos. No MDS 2020, pesquisadores da Enfermaria de olhos e ouvidos de Massachusetts (Massachusetts Eye and Ear Infirmary), em Boston, EUA, apresentaram dados sobre a DystoniaNet, uma plataforma pela qual diagnósticos podem ser feitos com precisão (precisão diagnóstica de 98,8%) e rapidez (0,36 segundos).

Primeiramente, eles obtiveram dados não processados de ressonância magnética (RM) estrutural de 392 pacientes com três formas de distonia isolada (laríngea, cervical e blefaroespasmo) e 220 controles saudáveis.