Relação entre a heterogeneidade clínica dos perfis de imagem da enxaqueca com aura e características morfofuncionais tálamo-corticais

Princípios

  • Os dois fenótipos clínicos da enxaqueca com aura, auras visuais puras e auras neurológicas complexas têm características morfofuncionais comuns e distintas dos nós na rede tálamo-cortical.

Por que isso importa

  • Foi sugerido que a enxaqueca com aura é uma condição heterogênea com diferentes mecanismos fisiopatológicos subjacentes ao continuum do fenótipo clínico.

  • Através da ressonância magnética (RM), este novo estudo registrou a hemodinâmica funcional do córtex em repouso para quantificar a conectividade funcional.

  • Uma melhor compreensão das diferenças que determinam os dois subtipos de enxaqueca com aura poderia, em última análise, levar a intervenções melhores e mais específicas.