Miopatia por COVID-19: especialistas demonstraram persistência de partículas virais no músculo esquelético

Especialistas descreveram um caso de miopatia por COVID-19, com a microscopia eletrônica (ME) demonstrando persistência de partículas virais no músculo esquelético após repetidos resultados negativos de testes para coronavírus.

Apresentando-se no WMS 2020, a Dra. Dubravka Dodig da Universidade de Toronto (Toronto University), Canadá, disse que o caso, “dentro de nosso conhecimento, é a primeira descrição de miopatia por COVID-19 e demonstração por ME de partículas virais no músculo, sugerindo a infecção direta do tecido muscular esquelético”.

A Dr. Dodig disse que novos dados sugerem que a infecção por SARS-CoV-2 pode desencadear manifestações autoimunes do sistema nervoso central e periférico, com envolvimento muscular, incluindo possível rabdomiólise e miopatia necrotizante imunomediada.