Modulação deficiente da dor e cefaleia pós-traumática em lesão cerebral traumática leve

Princípios

  • A cefaleia pós-traumática persistente (CPTP) está associada às alterações na função moduladora endógena da dor ocorridas imediatamente após lesão cerebral traumática leve (LCTl) e o nível dessa deficiência previu a presença de CPTP aos 4 meses. Além disso, pacientes com LCTl e CPTP sofreram estresse psicológico por até 4 meses após a lesão.

Por que isso importa

    A cefaleia pós-traumática (CPT) é uma consequência comum da LCTl, mas os mecanismos patológicos que contribuem para a CPT ainda são mal compreendidos. Identificar as causas da CPT pode ajudar na identificação e no tratamento precoces, levando a melhores desfechos para o paciente.

A International Medical Press é um fornecedor global de educação médica independente. Sua missão é fornecer aos profissionais de saúde informações médicas confiáveis de alta qualidade, com o objetivo de ajudar a otimizar o tratamento dos pacientes.

A International Medical Press não assume responsabilidade por quaisquer lesões e/ou danos a pessoas ou propriedade decorrentes de negligência ou de outra razão, nem por qualquer uso ou operação de quaisquer métodos, produtos, instruções ou ideias contidos neste material. Devido aos rápidos avanços nas ciências médicas, a International Medical Press recomenda que seja feita a verificação independente de diagnósticos e dosagens do medicamento. As opiniões expressas não refletem as opiniões da International Medical Press ou do patrocinador. A International Medical Press não assume responsabilidade por qualquer material contido neste documento.