Estudo genético sugere que a depressão pode ter um papel causal na DA

Pesquisadores apresentaram novos achados sobre possíveis mecanismos moleculares subjacentes à associação entre a depressão e o risco de doença de Alzheimer (DA).

Muitos estudos prospectivos indicaram que a depressão aumenta o risco de desenvolver DA, e pesquisas recentes identificaram uma correlação genética entre eles. Na conferência da AAIC, a Dra. Nadia Harerimana da Faculdade de Medicina da Universidade Emory (Emory University School of Medicine), em Atlanta, Geórgia, EUA, relatou os achados de uma nova análise abrangente.

Essa análise foi baseada em dados dos maiores estudos de associação genômica (genome-wide association study, GWAS) publicados sobre depressão e DA, e sobre perfis de transcriptoma e proteoma (n = 580 e n = 468, respectivamente) derivados de cérebros post-mortem de indivíduos em três estudos prospectivos de envelhecimento e demência.