Determinantes da progressão da esclerose múltipla secundária progressiva para esclerose múltipla remitente-recorrente

Princípios

  • Conforme avaliado por ressonância magnética (RM), lesões corticais e atrofia distinguem principalmente a esclerose múltipla secundária progressiva (EMSP) da esclerose múltipla remitente-recorrente (EMRR) após 30 anos.

Por que isso importa

    Não foi encontrado nenhum biomarcador correlacionado com os níveis de incapacidade causada pela esclerose múltipla (EM) em longo prazo ou que pudesse distinguir entre EMSP e EMRR. Este estudo identificou o envolvimento cortical como um determinante de incapacidade e doença progressiva, sugerindo que lesões corticais e atrofia poderiam ser alvos de futuras terapias para EM.