Diferenças nos sinais de imagem por ressonância magnética funcional (RMf) em pacientes com enxaqueca

Princípios

  • Padrões contrastantes de variação do sinal cerebral e da conectividade funcional dinâmica (dynamic functional connectivity, dFC) nas vias tálamo-cortical e frontoparietal podem estar relacionados à integridade anormal da rede e à instabilidade para a transmissão e modulação da dor em pacientes com enxaqueca.

Por que isso importa

  • Pacientes com enxaqueca exibem dFC cortical anormal entre o tálamo posterior, o modo padrão e as regiões visuais, mas a dinâmica temporal da atividade cerebral e da comunicação neural durante o período interictal e sua significância clínica para crises de enxaqueca não foram elucidadas.

  • Este estudo usou a variabilidade do sinal dependente do nível de oxigênio no sangue (blood-oxygen-level-dependent signal variability, BOLDSV) em estado de repouso para revelar a atividade cortical alterada e as dinâmicas de rede, que afetam as crises de enxaqueca e a dor em pacientes que apresentam enxaqueca episódica e crônica.