Atividade da doença em gestantes com esclerose múltipla que interromperam o tratamento

Princípios

  • A reatividade da doença um ano após o parto foi menor entre mulheres com esclerose múltipla (EM) que suspenderam o tratamento com rituximabe (RTX) antes da gravidez, em comparação com mulheres que suspenderam o tratamento com natalizumabe (NTZ), sugerindo que o RTX pode exercer efeitos de ação prolongada na atividade da doença de EM.

Por que isso importa

    Mulheres grávidas com EM são obrigadas a interromper o tratamento medicamentoso; no entanto, novas terapias como o RTX, que possuem efeitos biológicos prolongados, podem diminuir o risco de reatividade da doença, se tomadas antes da concepção.

A International Medical Press é um fornecedor global de educação médica independente. Sua missão é fornecer aos profissionais de saúde informações médicas confiáveis de alta qualidade, com o objetivo de ajudar a otimizar o tratamento dos pacientes.

A International Medical Press não assume responsabilidade por quaisquer lesões e/ou danos a pessoas ou propriedade decorrentes de negligência ou de outra razão, nem por qualquer uso ou operação de quaisquer métodos, produtos, instruções ou ideias contidos neste material. Devido aos rápidos avanços nas ciências médicas, a International Medical Press recomenda que seja feita a verificação independente de diagnósticos e dosagens do medicamento. As opiniões expressas não refletem as opiniões da International Medical Press ou do patrocinador. A International Medical Press não assume responsabilidade por qualquer material contido neste documento.