As redes de doença na DP representam conexões mal adaptativas ou compensatórias?

Novos achados do estudo sugerem que, nas redes da doença de Parkinson (DP), há um aumento da assortatividade principal em pacientes com a variante GBA da DP, na qual o fenótipo clínico tende a ser mais agressivo, mas uma redução em pacientes com a mutação LRRK2, que está associada à progressão mais lenta.

Pesquisadores do Instituto Feinstein de Pesquisa Médica (Feinstein Institute for Medical Research), em Nova York, EUA, chegaram a essa conclusão, que previu que as redes assortativas são mal adaptativas devido à sua ineficiência e vulnerabilidade, ao passo que as redes desassortativas são compensatórias devido à sua eficiência e robustez.