Biomarcadores precoces de esclerose múltipla primariamente progressiva no líquido cefalorraquidiano

Princípios

  • No diagnóstico, as pessoas com esclerose múltipla primariamente progressiva (EMPP) apresentaram níveis elevados de CXCL12 e osteopontina relacionada a monócitos no líquido cefalorraquidiano (LCR) e níveis reduzidos de interleucina (IL)-10 em comparação com pessoas com esclerose múltipla remitente-recorrente (EMRR).

Por que isso importa

  • A maioria dos pacientes com esclerose múltipla apresenta EMRR seguida por uma fase secundariamente progressiva (EMSP), enquanto 10% a 15% são progressivas desde o diagnóstico (EMPP).

  • A neuroinflamação é um fator importante que impulsiona tanto a EMPP quanto a EMSP e tem sido associada a danos na substância cinzenta.

  • É possível que diferentes perfis de citocinas pró e anti-inflamatórias no diagnóstico possam ajudar a distinguir a EMPP da EMRR.