Alterações cerebrais precoces observadas após o início da EM

Pesquisadores em Londres identificaram alterações cerebrais precoces não detectáveis com RM convencional em pacientes recém diagnosticados com esclerose múltipla (EM).

Apresentando-se no MSVirtual2020, a Dra. Sara Collorone, da Faculdade da Universidade de Londres (University College London), Reino Unido, declarou que compreender melhor as alterações microestruturais e metabólicas no tecido cerebral normal de pacientes com EM precoce poderia disponibilizar informações valiosas sobre a fisiopatologia da doença.

A Dra. Collorone e colegas usaram duas técnicas avançadas de RM para encontrar alterações clinicamente relevantes nos cérebros de pacientes com EM precoce e achados normais na RM convencional.