Risco de epilepsia entre sobreviventes de sepse após hospitalização na unidade de terapia intensiva

Princípios

  • Sobreviventes de sepse foram significativamente mais propensos a desenvolver epilepsia nos dois anos após a alta de uma unidade de terapia intensiva (UTI), em comparação com indivíduos mais jovens com doença renal crônica (DRC), que apresentam risco máximo.

Por que isso importa

  • Alteração do nível de consciência, ou encefalopatia, é uma das características da sepse – uma infecção sistêmica que causa disfunção orgânica.

  • Os sobreviventes de sepse que continuam apresentando convulsões correm maior risco de morbidade e mortalidade.

  • Em 35% dos casos de epilepsia focal, a etiologia das convulsões é desconhecida, sugerindo a existência de fatores de risco ainda não identificados.