Vírus Epstein-Barr em pessoas com esclerose múltipla tratada com imunomodulador

Princípios

  • O acetato de glatirâmer restaura a homeostase do sistema imunológico e melhora a detecção do vírus Epstein-Barr (VEB); portanto, o acetato de glatirâmer pode ser apropriado para uso em pessoas com esclerose múltipla (EM) e infecções virais.

Por que isso importa

  • O VEB é um vírus comum que infecta células B, tipicamente em forma latente e geralmente mantido sob controle por células T CD8+ específicas para VEB.

  • Acredita-se que a infecção pelo VEB possa estar ligada ao risco de desenvolver EM e de atividade da doença.

  • O acetato de glatirâmer é uma terapia imunomoduladora de primeira linha para pessoas com esclerose múltipla remitente recorrente (EMRR), que sabidamente afeta células B e T.

  • Não se sabe como o fenótipo de células B e T específicas para VEB, particularmente células T CD8+, pode ser afetado em pessoas com EMRR sendo tratadas com acetato de glatirâmer.