Estudo de extensão avalia o uso adjuvante da fenfluramina na síndrome de Dravet

Pesquisadores divulgaram resultados parciais confirmando a segurança e eficácia da fenfluramina adjuvante na redução de crises epilépticas em crianças com síndrome de Dravet.

Na conferência virtual ICNA/CNS 2020, o Dr. Joseph Sullivan, do Benioff Children’s Hospital da Universidade da Califórnia em São Francisco (University of California San Francisco, UCSF), EUA, apresentou resultados parciais de um estudo de extensão aberto em andamento com a fenfluramina.

No total, 330 pacientes que haviam participado de um dos três estudos anteriores passaram por uma transição de 2 semanas para uma dose padrão de 0,2 mg/kg/dia. Essa dose poderia ser aumentada posteriormente no estudo até 0,7 mg/kg/dia, por exemplo, quando medicamentos antiepilépticos (anti-epileptic drugs, AEDs) concomitantes foram removidos, embora todos os indivíduos tivessem que continuar com pelo menos um AED de base.

O Dr. Sullivan relatou que a idade média dos pacientes no estudo foi de 9,0 anos e 54,5% eram do sexo masculino. A frequência mediana de crises convulsivas no período basal foi de 15,3 por 28 dias. Em geral, os pacientes receberam uma mediana de 445 dias de tratamento com fenfluramina (variação de 7 a 899 dias).