Glioblastoma em pacientes idosos: pesquisa com especialistas aponta a necessidade de clareza na avaliação

Pesquisadores sugeriram que a falta de uma avaliação padronizada e o subtratamento, está contribuindo para o pior prognóstico observado em pacientes idosos com glioblastoma.

Especialistas de centros de oncologia no Reino Unido e EUA elaboraram uma pesquisa on-line anônima para membros da Sociedade de Neuro-Oncologia (Society for Neuro-Oncology) preencherem. A pesquisa indagou sobre a avaliação de novos pacientes com 70 anos ou mais com glioblastoma, o tumor maligno primário mais comum entre adultos.