Volume do hipocampo, biomarcadores do LCR e cognição na doença de Parkinson sem demência

Princípios

  • Os volumes do hipocampo, especificamente na área do Cornu Ammonis 1 (CA1) e nas áreas de transição amígdalo-hipocampal (hippocampal-amygdaloid transition areas, HATA) são preditas pelo estado cognitivo, mas não pela beta-amiloide 1-42 (Aβ42) no líquido cefalorraquidiano (LCR) em pacientes com doença de Parkinson (DP) sem demência.

Por que isso importa

  • Poucos estudos estudaram a associação entre a atrofia do hipocampo, níveis de Aβ42 no LCR e déficit cognitivo na DP, apesar dos três estarem presentes nesses pacientes, com níveis anormais de Aβ42 no LCR especificamente observados em pacientes com DP e demência.

  • O estado cognitivo em pacientes com DP pode constituir um marcador prognóstico para atrofia do hipocampo que pode, por sua vez, prever o risco de demência, levando a uma potencial intervenção precoce.

A International Medical Press é um fornecedor global de educação médica independente. Sua missão é fornecer aos profissionais de saúde informações médicas confiáveis de alta qualidade, com o objetivo de ajudar a otimizar o tratamento dos pacientes.

A International Medical Press não assume responsabilidade por quaisquer lesões e/ou danos a pessoas ou propriedade decorrentes de negligência ou de outra razão, nem por qualquer uso ou operação de quaisquer métodos, produtos, instruções ou ideias contidos neste material. Devido aos rápidos avanços nas ciências médicas, a International Medical Press recomenda que seja feita a verificação independente de diagnósticos e dosagens do medicamento. As opiniões expressas não refletem as opiniões da International Medical Press ou do patrocinador. A International Medical Press não assume responsabilidade por qualquer material contido neste documento.