Hiperglicemia associada ao aumento do risco de crises epilépticas na encefalopatia neonatal

Especialistas relataram uma forte associação entre hiperglicemia e clusters de crises epilépticas confirmadas por EEG em recém-nascidos com encefalopatia hipóxica-isquêmica (hypoxic-ischemic encephalopathy, HIE) tratados com hipotermia terapêutica.

Apresentando-se na conferência virtual ICNA/CNS 2020, o Dr. Carlos Ivan Salazar do Hospital for Sick Children em Toronto, no Canadá, observou que crises epilépticas ocorrem em quase um terço dos bebês com HIE tratados com hipotermia.

A hipoglicemia e a hiperglicemia são comuns em bebês com HIE e foram associadas em pesquisas anteriores com piores desfechos no neurodesenvolvimento, embora relativamente pouco se saiba sobre sua relação temporal com crises epilépticas neonatais.

Para investigar, o Dr. Salazar e colegas realizaram um estudo de coorte prospectiva de 46 recém-nascidos (idade pela data da última menstruação de 36 semanas ou mais) com HIE tratados com hipotermia terapêutica. Isso envolveu monitoramento contínuo da glicemia e EEG de amplitude integrada/EEG contínuo nos primeiros 3 dias após o nascimento.