Desequilíbrio entre respostas de anticorpos antimicrobiota sistêmicos e secretores em pessoas com esclerose múltipla

Princípios

  • Pessoas com esclerose múltipla têm alterações na microbiota sistêmica e intestinal e homeostase imunológica disfuncional.

Por que isso importa

    Há evidências crescentes de que microbiotas sistêmica e intestinal disfuncionais podem influenciar as respostas imunes e a progressão da esclerose múltipla. Este novo estudo revela respostas únicas de imunoglobulina em pessoas com esclerose múltipla que podem representar um potencial alvo terapêutico antigênico. Os achados também sugerem que a alteração da microbiota em pessoas com esclerose múltipla pode ser uma opção terapêutica facilmente implementada na prática clínica.