A qualidade da marcha avaliada instrumentalmente está relacionada à capacidade de caminhar autorrelatada na esclerose múltipla em estágio inicial

Princípios

  • Indivíduos com esclerose múltipla e boa mobilidade relatam limitações de deambulação na vida cotidiana relacionadas à fadiga, comprometimento do equilíbrio e má qualidade da marcha.

Por que isso importa

    Indivíduos com esclerose múltipla frequentemente relatam capacidade de deambular limitada, apesar da autonomia normal para caminhar pelo padrão ouro, a Escala Expandida do Estado de Incapacidade (Expanded Disability Status Scale). Esses importantes achados sugerem que aspectos da qualidade da marcha avaliados instrumentalmente podem ser biomarcadores sensíveis o suficiente para detectar comprometimentos sutis, mesmo nos estágios iniciais da esclerose múltipla.