Nível insuficiente de fármaco antiepiléptico é comum em pacientes com estado de mal epiléptico

Segundo os achados de um novo estudo, níveis insuficientes de fármacos antiepilépticos (FAE) é um achado comum em pacientes internados em um centro de cuidados terciários por estado de mal epiléptico (status epilepticus, SE).

Pesquisadores da Universidade Estadual de Nova York, Universidade Médica do Estado de Nova York (State University of New York Upstate Medical University), em Syracuse, EUA, avaliaram retrospectivamente as características clínicas de 77 pacientes com SE admitidos em sua instituição entre novembro de 2018 e novembro de 2019.

Os pacientes foram classificados de acordo com os critérios para crise epiléptica da Liga Internacional Contra Epilepsia (International League Against Epilepsy, ILAE). O nível sérico do FAE antes do início do tratamento para SE foi analisado em 33 pacientes com dados disponíveis.

A Ology Medical Education é uma fornecedora global de educação médica independente. Sua missão é fornecer aos profissionais de saúde informações médicas confiáveis de alta qualidade, com o objetivo de ajudar a otimizar o tratamento dos pacientes.

A Ology Medical Education não assume responsabilidade por quaisquer lesões e/ou danos a pessoas ou propriedade decorrentes de negligência ou de outra razão, nem por qualquer uso ou operação de quaisquer métodos, produtos, instruções ou ideias contidos neste material. Devido aos rápidos avanços nas ciências médicas, a Ology Medical Education recomenda que deva ser feita a verificação independente de diagnósticos e dosagens do medicamento. As opiniões expressas não refletem as opiniões da Ology Medical Education ou do patrocinador. A Ology Medical Education não assume responsabilidade por qualquer material contido neste documento.