Níveis de ferro no cérebro associados ao declínio cognitivo acelerado

Os pesquisadores da Austrália encontraram uma associação entre níveis de ferro no cérebro e declínio cognitivo acelerado em pacientes com doença de Alzheimer (DA).

Eles mediram os níveis de ferro nos cérebros post-mortem de 645 pacientes com um amplo espectro de comprometimento neurocognitivo que participaram do Projeto de Memória e Envelhecimento (Memory and Aging Project) nos Estados Unidos.

Os níveis de ferro foram avaliados nas regiões temporal inferior, frontal média, giro cingulado anterior e cerebelar. A função cognitiva foi avaliada anualmente como parte do estudo.

“Este é o maior estudo post-mortem de ferro no cérebro na DA”, observou a Dra. Ashley Bush da Universidade de Melbourne (University of Melbourne), Austrália. “Nós examinamos o ferro em várias regiões do cérebro de uma coorte grande ao longo do estadiamento clínico-patológico da doença, com dados cognitivos abrangentes coletados na década anterior à morte.”

A Ology Medical Education é uma fornecedora global de educação médica independente. Sua missão é fornecer aos profissionais de saúde informações médicas confiáveis de alta qualidade, com o objetivo de ajudar a otimizar o tratamento dos pacientes.

A Ology Medical Education não assume responsabilidade por quaisquer lesões e/ou danos a pessoas ou propriedade decorrentes de negligência ou de outra razão, nem por qualquer uso ou operação de quaisquer métodos, produtos, instruções ou ideias contidos neste material. Devido aos rápidos avanços nas ciências médicas, a Ology Medical Education recomenda que deva ser feita a verificação independente de diagnósticos e dosagens do medicamento. As opiniões expressas não refletem as opiniões da Ology Medical Education ou do patrocinador. A Ology Medical Education não assume responsabilidade por qualquer material contido neste documento.