Níveis de ferro no cérebro associados ao declínio cognitivo acelerado

Os pesquisadores da Austrália encontraram uma associação entre níveis de ferro no cérebro e declínio cognitivo acelerado em pacientes com doença de Alzheimer (DA).

Eles mediram os níveis de ferro nos cérebros post-mortem de 645 pacientes com um amplo espectro de comprometimento neurocognitivo que participaram do Projeto de Memória e Envelhecimento (Memory and Aging Project) nos Estados Unidos.

Os níveis de ferro foram avaliados nas regiões temporal inferior, frontal média, giro cingulado anterior e cerebelar. A função cognitiva foi avaliada anualmente como parte do estudo.

“Este é o maior estudo post-mortem de ferro no cérebro na DA”, observou a Dra. Ashley Bush da Universidade de Melbourne (University of Melbourne), Austrália. “Nós examinamos o ferro em várias regiões do cérebro de uma coorte grande ao longo do estadiamento clínico-patológico da doença, com dados cognitivos abrangentes coletados na década anterior à morte.”