Declínio cognitivo de longo prazo associado ao neurofilamento de cadeia leve na degeneração lobar frontotemporal

Princípios

  • O neurofilamento de cadeia leve do líquido cefalorraquidiano pode diferenciar pessoas com histopatologia conhecida de degeneração frontotemporal e os controles sadios.

Por que isso importa

    Existe uma necessidade urgente de diagnóstico e prognóstico precisos da degeneração frontotemporal, especialmente com tratamentos modificadores da doença emergentes. Existe limitação de biomarcadores do líquido cefalorraquidiano que foram validados longitudinalmente em pessoas com patologia conhecida; estes novos achados sugerem que o neurofilamento de cadeia leve pode preencher esta lacuna.