Mapeamento da densidade dendrítica no córtex de pacientes com esclerose múltipla

Princípios

  • A análise laminar do tecido cortical em pacientes com esclerose múltipla (EM) indicou dano cortical em pacientes com EM, que foi diferente em pacientes com EM recorrente-remitente versus progressiva.

Por que isso importa

    Em indivíduos com EM, está comprovado que a desmielinização e a perda neuroaxonal estão associadas ao afinamento cortical. Uma pesquisa recente sugeriu que a perda de densidade dendrítica também é uma característica patológica importante da EM, que é independente da desmielinização cortical, da densidade axonal e da espessura cortical. Foi sugerido que a densidade dendrítica reduzida poderia ser detectada como uma redução na razão ponderada em T1/T2. No entanto, não está claro até o presente onde essa patologia pode ocorrer nas regiões corticais.

A International Medical Press é um fornecedor global de educação médica independente. Sua missão é fornecer aos profissionais de saúde informações médicas confiáveis de alta qualidade, com o objetivo de ajudar a otimizar o tratamento dos pacientes.

A International Medical Press não assume responsabilidade por quaisquer lesões e/ou danos a pessoas ou propriedade decorrentes de negligência ou de outra razão, nem por qualquer uso ou operação de quaisquer métodos, produtos, instruções ou ideias contidos neste material. Devido aos rápidos avanços nas ciências médicas, a International Medical Press recomenda que seja feita a verificação independente de diagnósticos e dosagens do medicamento. As opiniões expressas não refletem as opiniões da International Medical Press ou do patrocinador. A International Medical Press não assume responsabilidade por qualquer material contido neste documento.