Mapeamento da densidade dendrítica no córtex de pacientes com esclerose múltipla

Princípios

  • A análise laminar do tecido cortical em pacientes com esclerose múltipla (EM) indicou dano cortical em pacientes com EM, que foi diferente em pacientes com EM recorrente-remitente versus progressiva.

Por que isso importa

    Em indivíduos com EM, está comprovado que a desmielinização e a perda neuroaxonal estão associadas ao afinamento cortical. Uma pesquisa recente sugeriu que a perda de densidade dendrítica também é uma característica patológica importante da EM, que é independente da desmielinização cortical, da densidade axonal e da espessura cortical. Foi sugerido que a densidade dendrítica reduzida poderia ser detectada como uma redução na razão ponderada em T1/T2. No entanto, não está claro até o presente onde essa patologia pode ocorrer nas regiões corticais.