A interface meníngea entre a prolactina e o peptídeo relacionado ao gene da calcitonina induz o comportamento especificamente feminino da enxaqueca

Princípios

  • Uma via meníngea de prolactina-peptídeo relacionado ao gene da calcitonina específica das mulheres pode explicar por que elas são mais propensas a sofrerem de enxaqueca.

Por que isso importa

    As mulheres são duas vezes mais propensas a sofrerem de enxaqueca do que os homens, mas os mecanismos subjacentes específicos do sexo feminino e o papel da prolactina permanecem incertos. Este estudo é o primeiro a descrever a interface entre as vias de sinalização meníngea da prolactina e do peptídeo relacionado ao gene da calcitonina que ocorre apenas em mulheres e poderia explicar a maior prevalência de enxaqueca nelas. Dados sugerem que as vias da prolactina podem representar um novo alvo na estratégia terapêutica para mulheres com enxaqueca.