Dados sugerem que alterações metabólicas são evidentes no cérebro antes dos sintomas de demência frontotemporal

Novos achados apresentados no congresso da Academia Americana de Neurologia (American Academy of Neurology, AAN) em 2022 destacaram as alterações no metabolismo cerebral que ocorrem na fase pré-sintomática da demência frontotemporal (DFT) associada a mutações no gene GRN.

Os achados podem oferecer um método para monitorar o desenvolvimento da doença em portadores assintomáticos antes que ocorram danos estruturais.