Mais de 75% das pessoas elegíveis não fazem uso da terapia preventiva para enxaqueca

Uma análise parcial do estudo Chronic Migraine Epidemiology and Outcomes-International (CaMEO-I) descobriu que, embora o uso de medicação preventiva para enxaqueca tenha mais do que dobrado de 2012 a 2021, mais de 75% das pessoas com enxaqueca elegíveis não estão recebendo terapia preventiva.

No estudo CaMEO-1, pesquisadores do Escola de Medicina Albert Eistein (Albert Einstein College of Medicine), da Vedanta Research e da AbbVie Inc. realizaram uma pesquisa transversal baseada na internet com indivíduos no Canadá, França, Alemanha, Japão, Reino Unido e EUA, que atenderam aos critérios para enxaqueca consistentes com a Classificação Internacional de Transtornos de Cefaleia, 3a edição.