A neuroimagem multimodal melhora a definição da zona epileptogênica em pacientes com epilepsia

Pesquisadores afirmam que uma abordagem multimodal para a neuroimagem pode ajudar a definir melhor a zona epileptogênica (ZE) em pacientes com epilepsia.

De acordo com pesquisadores do Instituto de Distúrbios Cerebrais de Pequim (Beijing Institute of Brain Disorders), na China, a remoção cirúrgica da ZE é frequentemente a melhor opção de tratamento para eliminar as crises em pacientes com epilepsia, tornando essencial a realização de uma definição precisa da ZE com neuroimagem.

Foram desenvolvidas novas técnicas para definir melhor a ZE, incluindo PET-RM, RM com supressão de substância branca e fluidos (fluid and white matter suppression, FLAWS) e pós-processamento para detectar oscilações de alta frequência (OAF).