Mutações nos genes de processamento de β-amiloide sugerem que os níveis plasmáticos de β-amiloide são um endofenótipo da doença de Alzheimer

Princípios

  • Estudos de associação genômica ampla identificam dois loci significativos nas regiões da apolipoproteína E e BACE1 ligados aos níveis plasmáticos de β-amiloide em pessoas sem demência.

Por que isso importa

    Este novo estudo explorou o potencial dos níveis plasmáticos de β-amiloide como um endofenótipo da doença de Alzheimer. Os determinantes genéticos identificados dos níveis plasmáticos de β-amiloide poderiam, em última análise, levar a novos alvos preventivos ou terapêuticos contra a doença de Alzheimer.