Alterações neuroanatômicas associadas a sintomas em pacientes com lesão cerebral traumática leve

Princípios

  • Alterações no volume e na integridade da substância branca observadas com imagem por ressonância magnética (RM) foram associadas a sintomas após lesão cerebral traumática (LCT) leve. A detecção precoce pode ajudar a selecionar pacientes em risco de desfechos insatisfatórios para acompanhamento clínico ou estudos intervencionistas.

Por que isso importa

  • Sintomas persistentes após LCT leve ocorrem em 30 a 50% dos pacientes, e esses sintomas podem ser reduzidos por intervenção precoce.

  • Existe uma carência de um modelo de previsão validado de recuperação após LCT leve. Existe uma necessidade urgente de uma ferramenta que estratifique os pacientes logo após a apresentação.

  • A análise por RM das alterações neuroanatômicas nos momentos iniciais apresenta utilidade clínica e possível valor prognóstico na identificação de pacientes em risco de recuperação desfavorável.