Treinamento de neurofeedback para esclerose múltipla: impacto no encéfalo e na função cognitiva

Pesquisadores da Áustria investigaram o impacto do treinamento de neurofeedback na estrutura e na função cerebral, e no desempenho cognitivo em pacientes com esclerose múltipla.

O treinamento de neurofeedback demonstrou melhorar a função cognitiva, de acordo com a Dra. Daniela Pinter, da Universidade Médica de Graz (Medical University of Graz), Áustria. No entanto, os efeitos exatos do treinamento de neurofeedback sobre a estrutura e função cerebral não foram definidos.

Em um estudo piloto, 14 pacientes foram submetidos a ressonância magnética (imagem de tensor de difusão e ressonância magnética funcional em repouso) antes e depois do treinamento de neurofeedback. O treinamento envolveu 10 sessões, realizadas em casa durante 3 a 4 semanas, usando um sistema de telerreabilitação.

A Ology Medical Education é uma fornecedora global de educação médica independente. Sua missão é fornecer aos profissionais de saúde informações médicas confiáveis de alta qualidade, com o objetivo de ajudar a otimizar o tratamento dos pacientes.

A Ology Medical Education não assume responsabilidade por quaisquer lesões e/ou danos a pessoas ou propriedade decorrentes de negligência ou de outra razão, nem por qualquer uso ou operação de quaisquer métodos, produtos, instruções ou ideias contidos neste material. Devido aos rápidos avanços nas ciências médicas, a Ology Medical Education recomenda que deva ser feita a verificação independente de diagnósticos e dosagens do medicamento. As opiniões expressas não refletem as opiniões da Ology Medical Education ou do patrocinador. A Ology Medical Education não assume responsabilidade por qualquer material contido neste documento.