Treinamento de neurofeedback para esclerose múltipla: impacto no encéfalo e na função cognitiva

Pesquisadores da Áustria investigaram o impacto do treinamento de neurofeedback na estrutura e na função cerebral, e no desempenho cognitivo em pacientes com esclerose múltipla.

O treinamento de neurofeedback demonstrou melhorar a função cognitiva, de acordo com a Dra. Daniela Pinter, da Universidade Médica de Graz (Medical University of Graz), Áustria. No entanto, os efeitos exatos do treinamento de neurofeedback sobre a estrutura e função cerebral não foram definidos.

Em um estudo piloto, 14 pacientes foram submetidos a ressonância magnética (imagem de tensor de difusão e ressonância magnética funcional em repouso) antes e depois do treinamento de neurofeedback. O treinamento envolveu 10 sessões, realizadas em casa durante 3 a 4 semanas, usando um sistema de telerreabilitação.