Novo estudo destaca a ligação entre a duração do sono e o risco de demência

A importância da duração curta persistente do sono – menos de seis horas por dia – como um fator de risco para o desenvolvimento de demência foi destacada na conferência AAIC 2021.

A Dra. Séverine Sabia, do INSERM em Paris, França, relatou as descobertas de um novo estudo que analisou a associação da duração do sono aos 50, 60 e 70 anos de idade com demência incidente.