A sensibilidade à dor está associada às atividades corticais em estado de repouso em indivíduos saudáveis

Princípios

  • A sensibilidade às dor está associada à oscilações gama e conectividade funcional em estado de repouso em regiões corticais relacionadas à dor de indivíduos saudáveis, mas não em pacientes com enxaqueca episódica.

Por que isso importa

  • Como a experiência da dor é fortemente influenciada por fatores genéticos, ambientais e psicológicos, a sensibilidade à dor pode variar drasticamente entre indivíduos.

  • Estudos anteriores mostraram que a frequência de oscilações neurais induzidas por estímulos nociceptivos em regiões corticais relacionadas à dor pode estar relacionada à variabilidade interparticipantes na percepção da dor. No entanto, a relação entre a atividade cortical espontânea e a sensibilidade à dor permanece indefinida.

    Se a atividade cortical espontânea puder ser usada como biomarcador para determinar a sensibilidade de um indivíduo à dor, pode ser possível determinar o risco, a gravidade, o prognóstico e a eficácia do tratamento da dor clínica.

A International Medical Press é um fornecedor global de educação médica independente. Sua missão é fornecer aos profissionais de saúde informações médicas confiáveis de alta qualidade, com o objetivo de ajudar a otimizar o tratamento dos pacientes.

A International Medical Press não assume responsabilidade por quaisquer lesões e/ou danos a pessoas ou propriedade decorrentes de negligência ou de outra razão, nem por qualquer uso ou operação de quaisquer métodos, produtos, instruções ou ideias contidos neste material. Devido aos rápidos avanços nas ciências médicas, a International Medical Press recomenda que seja feita a verificação independente de diagnósticos e dosagens do medicamento. As opiniões expressas não refletem as opiniões da International Medical Press ou do patrocinador. A International Medical Press não assume responsabilidade por qualquer material contido neste documento.