Epilepsia pediátrica: abordando a heterogeneidade para melhorar o desenvolvimento de tratamentos

Apresentando-se no CNS 2021, um especialista relatou que o futuro do desenvolvimento da terapia para epilepsia pediátrica depende do uso aprimorado de biomarcadores, medicina de precisão e novos desenhos de estudos clínicos.

O Dr. Adam Hartman, diretor do programa da Divisão de Pesquisa Clínica do Instituto Nacional de Distúrbios Neurológicos e AVC/Institutos Nacionais de Saúde (National Institute of Neurological Disorders and Stroke/National Institutes of Health, NINDS/NIH), salientou que o principal problema a ser abordado para auxiliar o desenvolvimento clínico é a heterogeneidade da população de pacientes na epilepsia pediátrica.