Síndromes neurológicas após COVID-19 aguda: o que sabemos?

Na conferência da AAN [American Academy of Neurology (Academia Americana de Neurologia)], uma especialista líder forneceu uma visão geral das pesquisas em andamento sobre as consequências neurológicas de longo prazo da infecção aguda por COVID-19.

A Profª. Serena Spudich, professora de neurologia e chefe da divisão de neuroinfecção e neurologia geral da faculdade de medicina de Yale (Yale School of Medicine), em New Haven, Connecticut, EUA, observou: “Um subconjunto de pacientes manifesta problemas neurológicos agudos quando estão inicialmente doentes com COVID-19. Mesmo no início da pandemia, começamos a ouvir relatos de complicações neurológicas persistentes ou emergentes em indivíduos que sobreviveram à doença aguda”. Isso inclui um amplo espectro de sintomas cognitivos, de humor, sensoriais, motores, autonômicos e cefaleia, ela disse.