Meningiomas associados à progestina podem ser controlados pela interrupção do tratamento

Princípios

  • O número de meningiomas associados à progestina em mulheres aumentou nas últimas duas décadas. Interromper o tratamento é uma maneira segura e eficaz de tratar esses tumores.

Por que isso importa

    Estes novos achados destacam a necessidade de coleta de dados mais padronizados de informações essenciais sobre tratamentos com progestina. A ressonância magnética deve ser prontamente acessível às mulheres que usam progestina, de modo a facilitar a triagem, a identificação rápida e o tratamento de meningiomas.