Volumes cerebrais regionais, progressão da incapacidade e função cognitiva na esclerose múltipla

Princípios

  • Os volumes de substância cinzenta (SC) e substância branca (SB) em regiões cerebrais específicas podem prever o desempenho cognitivo e progressão da incapacidade após um ano em pacientes com esclerose múltipla progressiva primária (EMPP).

Por que isso importa

  • Há pouca evidência sobre o impacto de regiões cerebrais específicas na função cognitiva e progressão de doença na EMPP, apesar de teorias sugerirem seu envolvimento nesses processos.

  • Os volumes regionais cerebrais específicos podem atuar como preditores de progressão de doença na EMPP, permitindo um tratamento personalizado individualmente capaz de melhorar os desfechos de longo prazo para os pacientes e beneficiar pesquisas sobre potenciais tratamentos para subtipos específicos de EM.