Relação entre COVID-19 e AVC isquêmico infantil

Princípios

  • A porcentagem de pacientes pediátricos com síndrome respiratória aguda grave por coronavírus-2 (severe acute respiratory syndrome coronavirus-2, SARS-CoV-2) que sofreram AVC (acidente vascular cerebral) é relativamente baixa, e o número de AVCs isquêmicos infantis não aumentou nos primeiros 3 meses da pandemia de coronavírus 2019 (COVID-19).

Por que isso importa

    O AVC é um achado neurológico incomum em adultos com SARS-CoV-2, mas é incerto se a COVID-19 contribui para o AVC isquêmico em crianças; compreender essa relação possivelmente ajudará no avanço da prevenção de AVC em pacientes pediátricos com COVID-19.

A International Medical Press é um fornecedor global de educação médica independente. Sua missão é fornecer aos profissionais de saúde informações médicas confiáveis de alta qualidade, com o objetivo de ajudar a otimizar o tratamento dos pacientes.

A International Medical Press não assume responsabilidade por quaisquer lesões e/ou danos a pessoas ou propriedade decorrentes de negligência ou de outra razão, nem por qualquer uso ou operação de quaisquer métodos, produtos, instruções ou ideias contidos neste material. Devido aos rápidos avanços nas ciências médicas, a International Medical Press recomenda que seja feita a verificação independente de diagnósticos e dosagens do medicamento. As opiniões expressas não refletem as opiniões da International Medical Press ou do patrocinador. A International Medical Press não assume responsabilidade por qualquer material contido neste documento.