Diferenças entre os gêneros no diagnóstico de suspeita de eventos isquêmicos cerebrais menores

Princípios

  • Stroke Mimic é diagnosticado com mais frequência em mulheres do que em homens, com revisões diagnósticas sendo comuns em homens e mulheres.

Por que isso importa

  • A diferenciação entre um evento isquêmico cerebral agudo e um evento não isquêmico (stroke mimic) pode ser desafiadora, particularmente quando os sintomas são transitórios ou secundários. No entanto, um diagnóstico rápido e preciso é vital para o tratamento ideal e a prevenção de AVC secundário.

  • A conscientização do impacto das diferenças entre gêneros em eventos cerebrovasculares menores tem implicações importantes para a precisão de resultados diagnósticos nesses pacientes e destaca o valor de ferramentas diagnósticas padronizadas, incluindo a RM, embora a visualização de um AIT nem sempre seja possível com essa modalidade de imagem.