As variações genéticas específicas ao sexo não explicam por que a doença de Parkinson é mais comum em homens do que em mulheres

Princípios

  • As variações autossômicas genéticas comuns não explicam as diferenças específicas relacionadas ao sexo na prevalência da doença de Parkinson.

Por que isso importa

  • Estudos de associação genômica ampla identificaram numerosos fatores de risco genéticos para a doença de Parkinson, mas as causas genéticas das diferenças na prevalência da doença entre homens e mulheres ainda não estão claras.

  • Esses achados, obtidos usando várias coortes de caso-controle de grande porte, sugerem que a disparidade de prevalência não é explicada pelas diferenças nos cromossomos sexuais, sugerindo que os efeitos ambientais poderiam contribuir para a etiologia relacionada ao sexo da doença de Parkinson.