Desfechos de sobrevida com uma abordagem de imagem multimodal para ressecção tumoral em glioma astrocítico de grau III ou IV da OMS

Princípios

  • A extensão da ressecção de acordo com uma abordagem combinada de tomografia por emissão de pósitrons com [18F]-fluoroetil-L-tirosina (FET-PET) e imagem por ressonância magnética (RM) correlacionou-se com uma melhor sobrevida global em pacientes com glioma astrocítico de grau III ou IV da OMS. Imagens pré-operatórias multimodais podem ajudar a melhorar a extensão da ressecção total bruta (gross total resection, GTR) durante a cirurgia e melhorar os desfechos de sobrevida.

Por que isso importa

  • A ressecção cirúrgica é a base do tratamento de gliomas de grau III ou IV da OMS, e capaz de ampliar a sobrevida global e a sobrevida livre de progressão. Embora a GTR completa seja impraticável dada a natureza infiltrativa do glioma, um número crescente de evidências sugere que a ressecção do tumor com realce por contraste (contrast-enhancing, CE) na RM pós-operatória precoce melhora a sobrevida global.

  • A FET-PET pode delinear o volume biológico e destacar regiões ativas do tumor fornecendo, assim, informações adicionais à RM com CE para melhorar a avaliação da GTR.

  • Uma abordagem multimodal usando RM com CE e FET-PET para analisar a GTR em glioma de grau III e IV pode ajudar a melhorar os desfechos de sobrevida.