Biomarcadores de células T para o risco de leucoencefalopatia multifocal progressiva com natalizumabe

Princípios

  • As células T de memória efetora tiveram um aumento significativo em pacientes com esclerose múltipla (EM) tratados com natalizumabe, com o aumento mais elevado observado no grupo com o maior risco de leucoencefalopatia multifocal progressiva (LMP). As contagens de células T de memória efetora periférica podem fornecer um biomarcador preditivo de risco de LMP.

Por que isso importa

  • Estudos iniciais de células T criopreservadas de pessoas tratadas com natalizumabe sugeriram que antes de desenvolver LMP, o número de células T CD4+ portadoras do marcador de superfície CD62L sofrem uma redução.

    • CD62L é uma molécula de adesão de superfície importante que permite que as células T recirculem em órgãos linfoides secundários, como os linfonodos.

  • É possível que a expressão de CD62L nas células T CD4+ possa ser um biomarcador preditivo precoce do risco de LMP.