Utilização de padrões de patologia da proteína tau para a diferenciação entre a doença de Alzheimer típica e atípica

Princípios

  • Os fenótipos clínicos da doença de Alzheimer estão ligados a padrões patológicos específicos da proteína tau, mas não da proteína amiloide.

Por que isso importa

    Há uma necessidade não atendida de caracterizar a heterogeneidade da doença de Alzheimer para permitir o tratamento individualizado. Esses novos achados elucidam os mecanismos neuropatológicos subjacentes dessa heterogeneidade, e poderiam permitir o desenvolvimento de biomarcadores da doença e tratamentos direcionados.

A International Medical Press é um fornecedor global de educação médica independente. Sua missão é fornecer aos profissionais de saúde informações médicas confiáveis de alta qualidade, com o objetivo de ajudar a otimizar o tratamento dos pacientes.

A International Medical Press não assume responsabilidade por quaisquer lesões e/ou danos a pessoas ou propriedade decorrentes de negligência ou de outra razão, nem por qualquer uso ou operação de quaisquer métodos, produtos, instruções ou ideias contidos neste material. Devido aos rápidos avanços nas ciências médicas, a International Medical Press recomenda que seja feita a verificação independente de diagnósticos e dosagens do medicamento. As opiniões expressas não refletem as opiniões da International Medical Press ou do patrocinador. A International Medical Press não assume responsabilidade por qualquer material contido neste documento.